ZOE Inicio
Registrarse
 Guía del Sitio
 Publicite aquí
Invitar
Usuarios en línea:
Menú
Guía del Sitio - FAQ

Temas de Interés

Documentos
Foros de Producción
Foros de Helicicultura
Foros de Cuyes
Foros de Mascotas
Listas de correo
Empleo
Enlaces de interés
Agronegocios
Registro de Empresas
Avisos Express
  Publicaciones - Artículos - Guías
  «Bovinos general»
  Desparasitación en Bufalos de agua

Enviar mensaje nuevo  Contestar
perfil | registro | preferencias | preguntas | buscar

siguiente tema nuevo | tema anterior
Autor Tema:   Desparasitación en Bufalos de agua
R. Bacardit
Administrador

Mensajes: 2917
De:Buenos Aires, Argentina
Registrado: Mar 2001

enviado 22-07-2007 14:41     Presione aquí para ver el perfil de R. Bacardit     Editar/Eliminar Mensaje
Enviado por Grupo Búfalos

Estamos repassando alguns dados da nossa experiência c/ búfalos do Vale do Ribeira:

Vermifugações de bezerros:
Em bezerros búfalos a primeira vermifugação deve ocorrer entre 15-20 dias de vida (obrigatório), ser via oral, e utilizar vermífugos comuns que atuem sobre Strongyloides papillosus e Toxocara vitulorum (Neoascaris vitulorum); As outras devem ser feitas com 90 , 180, 240 dias de vida (época de desmame). Se vc tem parasitas como Paracooperia nodulosa e Skrjabinagia boevi deve usar produtos mais modernos como avermectinas que são mais indicados nesse caso. Não temos notícias da ocorrência destes parasitas na região Norte.
Esquemas de tratamentos anti-helmínticos mudam de um lugar p/ outro porque dependem do manejo, dos tipos de vermes presentes nos animais, das condições climáticas (disponibilidade de chuva), já que em regiões tropicais as temperaturas se mantém praticamente igual o ano todo. Em regiões sujeitas regularmente à enchentes como no Baixo Amazonas (várzeas), a incidência de helmintoses parece pouca expressiva (SILVA, R.G. Boletim Técnico nº 51. Separata da Pesquisa Agropecuária, v. 4, 1969). Trabalhos de pesquisa em búfalos desmamados, criados extensivamente e que compararam diferentes esquemas de tratamentos anti-helmínticos, revelaram que não há diferença estatística significativa no ganho de peso e, portanto, desnecessário uso e vermifugações constantes (LÁU, H.D.; MARQUES, J.R.F. Boletim de pesquisa nº 96, EMBRAPA, Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico ùmido, 1989). Aqui na região do Vale do Ribeira (SP), mesmo na estação seca existe umidade suficiente p/ desencadear uma verminose, portanto adotamoo esquema preventivo proposto pelo EMBRAPA ou seja, as vermifugações se concentram nos meses mais secos do ano: no início e meio da estação seca e uma no início das chuvas pesadas p/ animais desmamados até 2 anos de idade. As vermifugações são necessárias porque o manejo é mais intensivo e temos parasitas como Paracooperia nodulosa, Skrjabinagia, Oesophagostomum e Fasciola hepatica que são muito patogênicos. P/ adultos, na maioria das propriedades não há necessidade de vermifugação. No entanto, temos recebido amostras de fezes de búfalos adultos que acusam um OPG (ovos por grama de fezes) baixo mas a cultura de larvas revela uma grande quantidade de Oesophagostomum, necessitando de tratamento. O ideal seria um monitoramento periódico do rebanho c/ exame de fezes. Vale lembrar que o melhor esquema preventivo de verminose é oferecer pastagem de boa qualidade, mineralização adequada e práticas de bom manejo. Após vermifugação, sempre colocar os animais em pastos descansados.

Sueli Moda de Oliveira/Takako Ueki Fujii
moda@biologico.sp.gov.br
uekifujii@yahoo.com
(Pesquisadores Científicos)
Instituto Biológico -SP/Pólo de Desenvolvimento dos Agronegócios Vale do Ribeira

IP: Archivada

Tiempo de Buenos Aires - Argentina

siguiente tema nuevo | tema anterior

Opciones Administrativas: Cerrar tema | Archivar/Mover | Eliminar tema
Enviar un nuevo mensaje  Contestar
Ir a:

Contáctenos | ZOE Tecno-Campo

Realizado por www.infopop.com © 2000
Ultimate Bulletin Board 5.45c